Como tudo começou

O Movimento Universitário de Evangelismo (MUDE) nasceu em 1996, ano em que a presidente / fundadora do movimento, Pra. Gláucia Rosane, ingressou na universidade (UNICEUMA – Renascença). Neste ano de 2017, o MUDE completa 21 anos de existência.
O trabalho de Evangelismo foi desenvolvido naquela faculdade de várias formas, dentre elas, aventurando a abertura de um grupo de evangelismo numa faculdade particular. O grupo não recebeu nome de início, mas muitas vidas foram alcançadas para Jesus, pregações eram feitas no pátio, na praça de alimentação, e depois num corredor próximo a quadra esportiva. Foi organizado um grupo de estudo da Palavra que funcionava nos intervalos, diariamente. Enquanto precursora e líder do movimento, a Pra. Gláucia Rosane constantemente dispensava a refeição no intervalo, pois todos os dias esperava na praça de alimentação, com a Bíblia na mão, alguém que fosse ao seu encontro ouvir a respeito de Jesus. Nos horários vagos, saía de sala em sala divulgando esse momento marcado para a oração e leitura da Palavra.
Com o crescimento do grupo, houve a necessidade de solicitar uma sala para os momentos de oração. Depois de sucessivas tentativas no gabinete da liderança da faculdade, foi concedida a autorização para que o grupo se reunisse numa sala. Diversos cultos foram efetuados com a participação de pastores amigos, enquanto os professores da mesma instituição se faziam presentes.

 

Porque MUDE?

Ter um “nome” nunca foi uma aspiração. Mas o Evangelho aconteceu no UNICEUMA – Renascença.
Depois de ser consagrada como pastora, essa era uma das principais experiências compartilhadas com seus discípulos, que eram incentivados, através dos testemunhos, a começar um trabalho de Evangelismo.
Depois de muita insistência, de muitas ministrações, inclusive de palestrantes que conheciam bem o assunto, um discípulo se ajoelhou e fez-lhe um pacto no corredor da igreja: “Eu lhe prometo que vou começar o trabalho na universidade!”
E a resposta foi: “Você não estará só! Inicie o projeto e estaremos lá com você.”
Começou timidamente, mas não demorou para ter companheiros. Logo foi marcado um EVANGELISMO DE MASSA, denominado ADORA UFMA. Então, o rapaz apresentou à Pastora os jovens que compunham o grupo.
Era uma manhã de domingo de 2007, quando ele anunciou a ideia de um nome. A princípio, a ideia de batizar o grupo foi rejeitada, pois a obra na universidade havia prosperado sem a necessidade de uma denominação.
Mas todos os jovens presentes concordaram em ter um nome.
Então, lendo os “Os 100 acontecimentos mais importantes da história do cristianismo”, a Pastora se deparou com o episódio de um Acampamento de verão nos EUA, liderado por D.L. Moody, onde jovens foram tocados para evangelizar as universidades e serem enviados ao campo missionário – por nome MEV – após, ela levou pra reunião a ideia do nome MUDE.
Então, naquela manhã, pela circunstância, nasceu a sigla: MUDE – Movimento Universitário de EVANGELISMO.
Depois, surgiu a ideia de fazer um culto de convocação para atrair os cristãos a trabalharem em unidade.
Esse culto ficou conhecido como CULTO DE UNIDADE CRISTÃ.

 

Primeiro movimento MUDE dentro da universidade

Foi o primeiro movimento do MUDE na universidade.
O culto foi um sucesso. Após a pregação do Evangelho e louvor, 3 pessoas se converteram.
Imediatamente, foi estipulada a data de realização do ADORA UFMA.
Nessa mesma época, vários projetos de rua denominados ADORA SÃO LUÍS eram efetivados.
O propósito, que era EVANGELISMO de massa, foi introduzido na universidade e conduzido com a mesma estrutura que era efetuada nas ruas: louvor, teatro, dança e palavra profética.
O primeiro ADORA UFMA foi um sucesso.

 

O MUDE Hoje

O MUDE CRESCEU.
Atualmente o movimento é reconhecido na cidade e fora dela. Com núcleos de EVANGELISMO em diversas universidades da cidade. Em diferentes turnos.

O MUDE é um projeto que abrange vários outros dentre eles, o ADORA, o ACAMP’Adora,
A Jornada Acadêmica Cristã e o MIL – Movimento Intelectual Livre, que ainda está embrionário.

 

Liderança do MUDE

Gláucia Rosane
Presidente/ Fundadora
Artista Plástica, Cantora e Compositora, Pesquisadora da História Protestante. Também é presidente de diversos projetos sociais como clínica de saúde da mulher e Museu Casa de Cultura Huguenote Daniel de Read More
Karinne Rosane
Presidente em exercício
Acadêmica de Direito na Universidade Estácio, São Luís – MA.   Pesquisadora na Casa de Cultura Huguenote Daniel de la Touche.
Domingos Dias
Líder MUDE UFMA
Acadêmico de Ciência da Computação na Universidade Federal do Maranhão
Paulo Dias
Líder MUDE UEMA
Acadêmico de Engenharia da computação na Universidade Estadual do Maranhão.